• Marcelo Naudi

Steve Vai e o set da sorte de 1990

No piso do estúdio caseiro extremamente bem equipado de Steve Vai, encontra-se pelo menos uma dúzia de cabeçotes Marshall - obviamente seu amplificador favorito - bem como um Bedrock, um Soldano e vários outros. "Marshalls são bestas estranhas", ele concorda. "Todos eles têm personalidades diferentes. Cada um dos meus Marshalls soa diferente."


Quando o Whitesnake cair na estrada em fevereiro, Steve prevê: "Basicamente, terei duas configurações - limpa e suja, e ambas passarão pelo equipamento [Bob] Bradshaw. Não sei o que estarei usando ainda; eu ainda tenho que experimentar. Eu descobri algo diferente neste álbum, e eu tive que mudar meu estilo um pouco. Em todo o álbum, usei uma guitarra de sete cordas, que é uma nova guitarra que desenvolvi com a Ibanez. Eu adicionei uma corda B, você pode ouvir quando a corda baixa entra em ação.

Outra novidade é o harmonizer Eventide H-3000. "Vários anos atrás, Eventide veio até mim e perguntou o que eu gostaria de ver em um harmonizador", conta ele. "Eu sugeri uma mudança de afinação diatônica. Basicamente, quando você toca uma linha, um harmonizador toma o intervalo de qualquer coisa que você definir - uma quinta ou quarta ou qualquer coisa - e as faixas em paralelo com quintas constantes ou qualquer outra coisa, não importa o que você tocar. Para permanecer diatônico, permanecendo no tom. Como tocar em terças, se você tocar um D, a terça maior é um F#, está fora do tom de C. Então o que este harmonizador faz é rastrear sons, quantiza-los e torna-los diatônicos para a o tom que você digita. E tem muitos outros recursos excelentes. Existem alguns efeitos sonoros na placa de referência que foram obtidos com esta unidade. "

Gravando em casa, Vai teve o luxo de usar uma variedade de guitarras no disco: Slip Of The Tongue. "Na verdade, usei uma Les Paul em um lick, só um lick, porque nunca toquei uma Les Paul em um disco. Eu nem tinha uma, mas sempre gostei de modelos Les Paul, então disse a um dos caras: "saia e compre para mim uma Les Paul preta". Eu acabei utilizando está guitarra na música: "Cheap And Nasty ", mas todas as partes de ritmo e solos foram feitas com Ibanez sete cordas. Eu também usei a Coral electric Sitar , um violão Guild, e uma doubleneck BC Rich porque busquei uma sonoridade 12 cordas. A guitarra Ibanez Universe de sete cordas estará realmente disponível nas lojas. Não sei como as pessoas vão reagir a isso, acho que poderá interessar aos músicos de diferentes estilos de música. " -D.F.


Fonte: Revista Guitar World - Jan/1990