top of page
  • Foto do escritorMarcelo Naudi

Mixagem V

Pare o Dilúvio

Todo mundo adora reverb – especialmente os vocalistas. Mas abuse dele e a sua mixagem pode perder clareza e punch. Para as suas faixas soarem cristalinas e afiadas, é melhor mixa-las o mais seco que puder. Não há como errar com uma mixagem seca. Por um lado, o estilo atual de mixagem é tão árido quanto o deserto do Sahara (não que você deva se esforçar para seguir modas de mixagem). Por outro, muito reverb pode dar bandeira que seu som foi produzido por amadores!

Experimente mixar os retornos de reverb bem baixo, em níveis quase psico-acústicos. Desta maneira você pode criar ambientes sonoros sutis, extremamente sensuais, ainda que não chamem suficiente atenção para apagar a pegada e o brilho da faixa.


Faça mixagens múltiplas

Porque se prender em uma única mixagem? Capriche e produza a master de sua mixagem final. Depois, após dar aos seus ouvidos um descanso, faça uma mixagem com os vocais mais altos e uma outra com os vocais mais suaves.

Faça uma com guitarras gritando, outra comportada. Force para valer o baixo na primeira, corte os graves na seguinte. E não se esqueça de fazer pelo menos uma mixagem suja e bizarra com todo o tipo de truques estéreo idiotas e processamento de efeitos exagerados (não precisa mostrar para ninguém”).

Depois de um intervalo de alguns dias, escute as mixagens. Você poderá ter boas surpresas! Se decidir masterizar profissionalmente para lançamento, sempre ajuda ter uma mixagem principal, uma com mais vocal e uma com menos disponíveis.

Uma vez que o engenheiro de masterização comece a trabalhar com os compressores, equalizadores e outros processadores de sinais, determinados elementos – em geral os vocais solo – tendem a cair para trás na mixagem ou a parecer mais altos. Então, se o vocal na sua mixagem principal começa a soar abafado, você pode dar ao engenheiro a versão com o vocal mais alto e o problema estará resolvido.


Referência!

Os produtores domésticos, pela própria natureza caseira de seus estúdios, podem perder o senso critico e acharem genial tudo o que fazem. Para avaliar verdadeiramente a qualidade das suas mixagens, é bom compara-las com as de outros artistas e escuta-las em vários sistemas de playback.

Comparando áudios. Pegue alguns áudios que você goste, ou que foram mixados por pessoas que respeita. Coisas parecidas e diferentes daquilo que você está mixando. Alterne entre o áudio que você escolheu e a mixagem que você está fazendo. Também serve monitorar nos fones de ouvido, e ficar trocando os fones de um para outro.

O seu vocal é tão alto quanto o dele? A sua mixagem soa enlameada ou magrinha quando comparada? E o volume do baixo? A sua mixagem está muito molhada? Você descobrirá que é muito mais fácil se fazer uma sintonia fina em mixagens se você tem um objetivo claro.

Ouvindo em outros sistemas. Você não pode convidar o mundo inteiro para ouvir como as suas mixagens soam maravilhosas nos seus monitores. Grave as mixagens e ouça-as em cada sistema de som que você puder conseguir. Celulares, Carros, sistema wi-fi caros, home theaters, falante de computador e vários monitores de estúdio, grandes e pequenos.

Verifique se sua mixagem mantém a riqueza de sons e o peso. Se seu som não sobreviver a esse exame, aprenda a partir dos seus erros e remixe. Afinal, ninguém sai detonando de primeira: comece de novo, e capriche no seu hit!

bottom of page