top of page
  • Foto do escritorMarcelo Naudi

Mixagem IV

Ligue o detector de sucessos

Quando você identifica os “craques” da sua faixa durante o plano de mixagem, o vocal – ou qualquer instrumento que exponha a melodia, deve surgir como o “chefe dos chefes”. Eles são a “vitrine” – os pequenos lances sedutores que realmente vendem a faixa. Devem estar claros e bem audíveis, mas isso não significa fazer um som de karaokê, com alguém berrando sobre uma base magrinha.

Uma mixagem equilibrada faz brilhar a vitrine, mas mantém coeso o som da banda. O arranjo tem de “deixar espaço” para o elemento principal.

Mixando um rock, por exemplo, assegure que o nível de som e volume das guitarras não dominem, abafem ou interfiram no timbre e clareza do vocal.

Tire a ênfase (ou corte) de quaisquer elementos – ruídos de percussão, gritos de sintetizadores e etc. – que roubam a sua atenção daquilo que quer ouvir. Isto pode significar limar alguns dos seus melhores overdubs, mas console-se com o fato de que este sacrifício irá assegurar uma mixagem mais coesa e fácil de assimilar.


Pacificador

Preste atenção em faixas de frequência que comecem a soar muito destacadas, ou “briguem” com as tonalidades dos instrumentos (ou vocais) principais. Verifique ocasionalmente os botões do seu equalizador, para ver se você esteve dando um “boost” sem querer nos médios das guitarras e na faixa de vocal. Resista à tentação de sempre acrescentar agudos ou graves nas guitarras.

Se escutar conflitos, decida onde pode cortar, em vez de aumentar, as frequências envolvidas. Se você tem duas faixas de guitarra aumentadas em 3dB na faixa de 3,5kHz, tente deixar uma delas intacta, e corte a outra naquela frequência, em pelo menos 5dB. Voltar alguns instrumentos aos seus sons flat (sem equalização) pode ajudar.

O teste mono. O estéreo pode parecer separar os sons, por isso reduzir a mixagem para mono às vezes integra melhor as brigas entre frequências. Se você não dispõe de um botão “mixer-mono”, poderá fazer o teste retornando todos os botões de pan às posições centrais. Vale a pena. Por exemplo, dobras de guitarra – separadas para esquerda e direita – podem muitas vezes fazê-lo pensar que cada parte tem um timbre bem diferente. Em mono, você vai descobrir que, na verdade, ambas estão habitando o mesmo espaço tonal. Uma leve mexida na equalização (aumentar agudos, “cavar” os médios, etc.) de uma das guitarras resolve o problema. Quando voltar à mixagem estéreo, vai se espantar como as duas guitarras vão soar bem melhor!


Comprimir

Mixagens profissionais são em geral super comprimidas – este é o motivo pelo qual soam tão altas e com pegada. Se um vocal ou instrumento ondulam muito dinamicamente, podem perder a clareza na mixagem.

Um pouco de compressão pode manter um vocal caminhando bem acima da base. Se você quiser que suas mixagens tenham o impacto dos lançamentos comerciais, comprima bumbo, caixa, baixo e vocal lead. Se tiver mais compressores disponíveis, esprema as guitarras, ton-tons, backing-vocal e teclados principais.

Comece com uma razão 2:1, com um “threshold” a -3dB, e aumente os níveis onde necessário ou desejado.

Ao invés de comprimir as faixas individualmente, alguns engenheiros preferem simplesmente comprimir a mixagem inteira com compressores estéreo, mas melhor mesmo é deixar isso para os engenheiros de masterização.


Mancadas comuns na mixagem

Técnicos inexperientes tendem a cometer erros comuns que dão bandeira de qualidade inferior do trabalho. Para salvar as suas mixagens desse risco, pondere as questões abaixo durante o playback. Se você responder “sim” em qualquer uma, resolva um problema ou sofra as consequências.

· As frequência graves estão “enlameadas” ou “emboladas”?

· As frequências médias estão “sujas” ou “aflitivas”?

· A mixagem soa magra ou tediosa?

· Você consegue ouvir distorção ou chiado?

· Os erros das performances estão audíveis?

· O vocal está sufocado na mixagem?

· Alguns instrumentos estão exageradamente altos?

· Todos os instrumentos estão brigando por destaque?

· Há muito reverb, obscurecendo os detalhes sonoros?

· Os efeitos estão exagerados e meio ridículos?


Dimensão correta

De nada adianta espremer muitos instrumentos num mesmo espaço. Coloque algum vigor nas suas mixagens – espalhe os instrumentos em um espectro de estéreo amplo. Coloque os backing-vocals no canal direito e a guitarra base principal no esquerdo. Espalhe a bateria – talvez até jogue a caixa um pouco para direita e o bumbo levemente para a esquerda para produzir mais pegada. Pense em quando você escutou Electric Ladyland pela primeira vez em fones de ouvido, e comece a detonar no pan. Qual é a graça de ter um home studio se você não pode se divertir um pouco?


bottom of page