? Hard Alexandre (guitarrista) | Curso de Guitarra Online - Guitar Express

Hard Alexandre (guitarrista)

Hard Alexandre


Marcelo Naudi - Você toca algum outro instrumento?
Hard Alexandre - Eu diria que alguns instrumentos eu brinco: Baixo, Batera, Violão de 6 e de 12 cordas, Synth, Gaita blues, Vsts e algumas coisas de percussão, mas no fundo isso serve mais para gravações e produções de jingles ou produções de bandas e artistas. Sempre tive envolvimento com músicos de estúdio, é um ramo que eu faço parte há muitos anos, então sempre estou trabalhando com isso.

Marcelo Naudi - Por que se decidiu pela guitarra?
Hard Alexandre - Minha irmã gostava de rock e tinha discos do Kiss, AC DC, Van Halen, Hendrix entre outros. Um dia achei um corpo de guitarra atrás da minha casa, onde tive meu primeiro contanto visual com o instrumento, resgatei o corpo e ficava polindo ele e escutando AC DC. Quando vi já tinha ganhado uma guitarra da minha mãe com 15 anos, daí não parei nunca mais.

Marcelo Naudi - Conte-nos um pouco sobre o principio, houve incentivo familiar?
Hard Alexandre - Foi meio difícil pra mim na época, porque não queria mais desgrudar do instrumento e a escola me tirava todo o tempo. Decidi parar de estudar e me dediquei somente à guitarra durante anos, depois voltei a estudar e acabei me formando no ensino médio. Mas minha mãe e meu pai não gostaram nada da ideia; o começo foi punk, mas depois eles me apoiaram.

Marcelo Naudi - Quais foram as suas primeiras influências?
Hard Alexandre - No começo mais bandas como AC DC, Van Halen, Purple, depois conheci o universo Jimi Hendrix e dai tudo começou a ficar mais claro. E tive muito mais abertura musical, ouvi muito Amadeus Mozart, Bach, Bethoveen, no Jazz, Charlie Parker, Coltraine, Big Bands, depois George Benson, muito pop dos anos 80 também, Michael Jackson, Seal etc... no blues Stevie Ray, Fred King, B.B. King e a guitarra sempre acompanhada de Yngwie Malmsteen, muito Greg Howe, Steve Vai, Satriani. Hoje ouço muito o som do Ed Motta, é uma aula de bom gosto e inteligência no contexto musical completo.

Marcelo Naudi - Qual é a sua visão da linguagem atual dos guitarristas que estão em destaque e não são tão técnicos?
Hard Alexandre - Se eles fazem o som que os deixam felizes e sabem o que realmente estão tocando, então é porque estão no caminho certo, independente de ser técnico.

Marcelo Naudi - É possível conciliar interesses mercadológicos e artísticos?
Hard Alexandre - É possível contanto que se faça um plano de carreira desde cedo e não vire um músico experimental, como é o meu caso, já que não me considero um cara que traçou um estilo fixo. Lá fora você vê exemplos como Bonamassa, Mayer e todos esses, entre outros já tinham um plano de carreira. Com 20 e poucos anos já possuem um trabalho considerável em volume de gravação de CDs. e marketing. O Brasil descobriu isso muito tarde pra alguns, mas para a nova geração fica ai a dica.

Marcelo Naudi - Existe algum novo guitarrista inovando musicalmente?
Hard Alexandre - Sim claro e é do Brasil, André Néri é um exemplo de músico. Que soube mesclar suas influências e criar maneiras novas de tocar, isso pra mim é inovar. Eu também já posso dizer que ando criando certos vínculos com maneiras de tocar que estão em desenvolvimento e são totalmente pessoais. É só reparar nos meus últimos vídeos postados na net.

Marcelo Naudi - Quais são as dificuldades de se tocar guitarra Rock no Brasil?
Hard Alexandre – Inúmeras. Há um lance cultural mesmo quando se tem um povo ignorante. A Trilha sonora é equivalente.

Marcelo Naudi - Que dicas você daria aos guitarristas que pensam em se tornar músicos profissionais?
Hard Alexandre - Façam um plano de carreira desde cedo e mudem do Brasil.

Marcelo Naudi - Pouca gente sabe, mas você foi professor de Juninho Afram, você ainda dá aulas?
Hard Alexandre - Sim o Juninho fez umas aulas na época em 90, mas ele andava muito bem com suas próprias pernas. Somos grandes amigos ele é um orgulho pra mim. Continuo dando aulas presenciais em SP ou via Skype só add (hardsalexandre) com S mesmo, caso tenham interesse.

Marcelo Naudi - E os equipamentos? Conte-nos sobre o que você utiliza hoje em dia. Você esta sempre pesquisando timbres?
Hard Alexandre - Sempre mudei muito. Tem muita variedade hoje em dia, Guitar Rig, etc...
Tenho um ampli combo Felpa 1965 valvulado, foi fuçado pelo Silvam da Hans Mader, o pioneiro dessa cena no Brasil. Adoro ligar um pedal de drive e tocar.

Marcelo Naudi - Quais são as suas atividades musicais hoje em dia?
Hard Alexandre - Hoje faço produções de jingles, gravo alguns guitarristas em casa, dou aulas, tenho 2 bandas Noidz e Hot Stuff em Portugal, da qual faço parte e viajo para lá quando pinta um som.

Marcelo Naudi - E os projetos, alguma novidade por aí?
Hard Alexandre - Tem meu disco solo que gravei em 2011, estou aguardando o lançamento já que foi patrocinado pela Eagle. Espero que na expo esteja tudo certo e viajo agora para a Europa em turnê com o Noidz e Hot Stuff, tocaremos em casas muito conceituadas como Hard Rock Café e Coliseu de Lisboa, fora outros eventos e gravações que faço por lá também.

Marcelo Naudi - Deixe-nos alguma mensagem para os futuros guitarristas que vão ler esta entrevista.
Hard Alexandre - Todos vocês façam da música a fantasia de suas vidas, com muito amor e dedicação. Aproveitem cada segundo quando tiverem com o instrumento nas mãos. Abração a todos e uma linda vida.

 

Entrevista realizada em abril/2013.